Sobre pisada

Vamos definir pisada: é o ato de colocar o pé no chão, que inicia com o toque de calcanhar, passando pelo apoio médio ou rolagem, período este em que o pé encontra-se totalmente apoiado, em contato com o chão, daí então inicia a fase de impulsão, enquanto um pé encontra-se nesta situação o outro está em fase de balanço, ou fase aérea, como define alguns autores.

Conhecendo os ciclos da marcha fica fácil acelerar e representar estas situações na corrida, o que difere é que o toque de calcanhar não se faz tão necessário, é até menos lesivo entrar com o pé chapado, por conta da velocidade em que corremos, e das forças físicas que interagem com o calcanhar na hora do choque inicial, desprendendo todo o peso do corpo em único lugar, mais isto é assunto para outra conversa.

Existem três formas básicas de superfícies plantares, “ou planta do pé”, pés cavos, onde o contato com o solo é observado apenas o calcanhar e a frente do pé, covinha lateral alta. Pés normais, semelhante ao anterior porem ligados por uma impressão no meio do pé que represente 1/3 da marca da frente do pé. E por fim os pés planos onde esta impressão plantar é quase que totalmente igual para as três áreas do pé, frente meio e calcanhar.

As pisadas são descritas como neutras, supinadas e pronadas, cada uma com sua individualidade, e não necessariamente quem desgasta a região externa do calcanhar vai ter pisada supinada. Visto o toque de calcanhar ter maior observação neste canto em todos os perfis de pisada.

Pisadas

O trajeto de pico de pressão tem como características uma linha que pode ser representada da seguinte forma:

Pisadas

O que define a pisada não necessariamente é o perfil acima descrito, mais o conjunto de informações que só terão veracidade se observadas de forma correta.

Geralmente compramos tênis aleatoriamente, o que nos leva a contratempos lesivos que podem diminuir nossa motivação nos treinos. Pessoas que compram tênis indicados por especialistas possuem menos riscos de lesão, o que também não é a salvação da lavoura, o tênis por si só não opera milagres, nestas avaliações faz-se necessário identificar os distúrbios, seja ele muscular: referente a força ou retração, postural: observando compensações pélvicas, diferenças de comprimento de membros, distúrbios congênitos ou adquiridos entre outros.

Vimos então que não é tão simples definir uma pisada, tão pouco indicar um tênis que atenda a esta exigência. Por tanto não dedique 100% de sua confiança a testes realizados em quinze segundos, ou a impressões plantares em plataformas baropodométricas não correlacionadas a histórico clinico. Os testes mencionados nas revistas podem reunir informações que subjetivam sua pisada e pode intuir para uma compra mais adequada, a dica é: procure testes que sejam realizados por profissionais especialistas no contesto esportivo ao qual esteja inserido.

Dr. Wesley Albuquerque Craveiro é Fisioterapeuta especialista em podoposturologia, fisioterapia traumato ortopedia desportiva e consultor técnico cientifico da marca ASICS no Centro-Oeste.

Fonte: Wesley Albuquerque